Pais presentes desenvolvem filhos inteligentes!


Creio que é um assunto de grande importância, ainda mais sendo este o mês em que comemoramos O DIA DOS PAIS. Vamos pensar aqui que o homem, ao se tornar pai, carrega em si a oportunidade de ser um mundo para outro ser. Carrega autoridade, força, segurança, coragem. Sua presença na vida deste novo ser pode fazer toda diferença.

O pai desenvolve um papel fundamental e insubstituível na vida da criança. A forma como a criança percebe a família nos primeiros anos de vida é simples: a mãe representa o conforto e o cuidado e o pai, as leis, limites e proteção. Quanto mais presente a figura paterna for, mais seguro o filho irá se sentir. Esta segurança se reflete em todas as áreas da vida da criança.

No site Pediatria em foco, encontrei uma análise interessante sobre o papel do pai na vida de uma criança. O autor faz uma breve análise da importância do pai desde os primeiros meses, mesmo que a mãe ocupe a figura protagonista do ponto de vista do bebê. A partir do primeiro ano de vida, o pai começa a aparecer mais. Ele representa a responsabilidade, o contato com a realidade.

O pai que ama os filhos não é somente aquele que manda, mas aquele de quem a criança tem orgulho e com quem quer se parecer. Essa admiração é o elemento da masculinidade que o pai transmite. Encontrar-se com o pai significará não somente poder separar-se da mãe, mas também encontrar uma fonte de identificação masculina, imprescindível tanto para menina como para o menino.

Sabemos que nem sempre pai e mãe criam os filhos juntos. O importante é fazer a criança se sentir segura nas mais variadas situações. Em situações em que não é possível o convívio do pai, a mãe não pode ceder demais e tentar compensar esta ausência. Deve dar carinho ao mesmo tempo em que estabelece limites. Na ausência do pai, é saudável que a criança adote outro modelo masculino. Pode ser o avô, o tio, o irmão.

No entanto deixe claro quem é esta pessoa na dinâmica familiar para evitar confusões na cabeça do pequeno. Quando o casamento acaba, o pai deve continuar presente na rotina do filho. O afastamento pode gerar diversos sentimentos negativos na vida da criança, refletindo tanto na infância como na vida adulta. O pai pode fazer maravilhas e também pode fazer grandes estragos. Tanto com sua presença como com sua ausência.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Sobre nós

A igreja precisa ter suas convicções firmadas nos princípios da Palavra, com uma postura ética e coerente com aquilo que propõe para a sociedade. 

Esperamos por Você

(51) 3582-3620
R. Sobradinho, 301

Novo Hamburgo/RS 

comunicacao@mbcv.org

CNPJ - 919952410001-73

© 2018 por Comunicação e Marketing MBCV