Bem-vindo 2017!

Reflexões para começarmos - e não pararmos – a nossa jornada de fé

A renovação e a esperança brotam no coração das pessoas, junto com o primeiro dia do ano. Nada mais humano que buscar algo novo, algo melhor, algo divino. Entretanto, essa profusão de amor e convicções solidárias – por vezes adquiridos no Natal – se esmorecem rapidamente, e quando nos damos conta, já voltamos à zona de conforto dos velhos hábitos.


Até aqui não disse nenhuma novidade.


Você bem sabe como funciona. Já foi – ou é – o tipo de pessoa que faz listas com alvos e promessas, inclusive de ser uma pessoa melhor. Começa bem, 01, 02 meses. Aí uma derrapada, uma escorregada. Um ‘ninguém tá vendo’ te empurra, um ‘Deus vai me perdoar’ te consola e a vida segue. Lá pelo meio do ano você percebe que nada mudou, que parece tudo automatizado, inclusive, muito parecido com o ano anterior.


Você fica assustado, não vê muito sentido nas coisas que faz. Vem uma frustração gigante. Mas, por incrível que pareça, ela não te impede de continuar vivendo a sua vida de aparências, pregando, discursando, posando de feliz nas mídias sociais. Afinal, quem é que sabe o que se passa do lado de dentro?


Tenho duas coisas para dizer a você (e espero trazer alguma novidade).


1 - Deus sabe o que se passa dentro da sua cabeça.

2 – Se você se dá conta da própria frustração – INDEPENDENTEMENTE do cargo ou posição que ocupa na vida - você está em progresso!


Convido você a ler o capítulo 04 de Oséias. Salvo as particularidades do contexto, é um retrato fiel dos dias atribulados em que estamos vivendo. O profeta adverte o sacerdote sobre seu descaso para com o conhecimento, atribuindo a isso todo o embaraço da vida. “O meu povo perece por falta de conhecimento” ele diz, mas em se tratando da Igreja, eu acrescentaria um agravante: a busca por “meias-verdades”.


A “meia-verdade” tem uma capa muito bonita de espiritualidade e religiosidade. Ela usa termos como bênção, prosperidade, celeiros cheios, cabeça não cauda. Termos bíblicos usados fora de contexto para buscar apenas o que interessa a si, o que traz benefício próprio. Reflita se no seu íntimo você já pensou assim: o que eu posso fazer para ser mais abençoado, para que minhas orações funcionem? Como posso fazer para agradar a Deus e assim garantir minha saúde, minhas posses, meus desejos? E da minha família, claro. Como posso ser mais ungido, mais talentoso, mais admirado, mais rico? Como faço para ser feliz?


Essa busca desenfreada atende ao deus EGO. Já o Deus Triúno ensina a colocar a lupa em outro lugar: no próximo. Mas, querido e querida, a felicidade vem quando se está servindo. Não a busque. Sirva. É servindo que somos plenos; é quando olhamos para o próximo procurando atender-lhe as necessidades (e não estamos falando apenas financeiras) que fazemos a vontade de Deus; é pensando todos os dias “o que eu posso fazer para abençoar alguém hoje?”, que glorificamos o nome d’Ele.


Quer entrar não apenas janeiro, mas todos os outros meses do ano com a bênção de Deus? Claro que quer, eu também quero. Então olhe para o próximo, atenda as necessidades, não as vontades. Não espere sentir, faça. Busque o conhecimento que está na Palavra de Deus, olhando para Cristo, seguindo seu exemplo. Isso tem um nome: amor.


Acredite, é possível amar todos os dias, mesmo naqueles em que tudo parece virado. Para amar em todo tempo, devemos usar as 04 capacidades que Deus nos deu: coração, alma, entendimento e forças. Essa é a forma equilibrada que Jesus ensinou.



Não viva a sua dor como se não tivesse

esperança, porque há!


Nossa esperança está na ressurreição, e não no que os olhos podem ver. Tampouco viva sua alegria como se tudo de bom estivesse nesse mundo, porque não está. Mas lembre-se, esse equilíbrio só é possível quando estabelecemos com Deus um RELACIONAMENTO. Sem Ele, não conseguimos.


É isso. Deus sabe o que se passa dentro da sua cabeça, do seu coração. Não tente esconder, fazer de conta que não está acontecendo. Não importa quem você é ou que cargo ocupa na vida, ponha sua frustração diante do Único que pode fazer você nascer de novo. Busque o conhecimento para melhor servir. Quando você para de buscar o conhecimento, para de servir e, consequentemente, para de crescer.


A realização pessoal está no servir. O que fica em você, morre, mas o que sai de você, produz vida. E essa satisfação - servir por amor, não por barganha - não tem preço!


Estamos juntos nessa jornada,


Feliz ano novo!


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Sobre nós

A igreja precisa ter suas convicções firmadas nos princípios da Palavra, com uma postura ética e coerente com aquilo que propõe para a sociedade. 

Esperamos por Você

(51) 3582-3620
R. Sobradinho, 301

Novo Hamburgo/RS 

comunicacao@mbcv.org

CNPJ - 919952410001-73

© 2018 por Comunicação e Marketing MBCV