Aniversário de fé, você já pensou em celebrar?

Quando essa jornada é bênção na vida das pessoas, há muito que se comemorar!

50 anos de fé. Está registrado no meu livro¹, em detalhes, o dia em eu me deparei com minha própria miséria de vida, entendendo que precisava de um Salvador e, felizmente, Ele me encontrou. Daquele janeiro até hoje, quanta coisa mudou, quanto aprendizado, quanta vida abundante pude desfrutar. A fé cristã não é uma fé que conserta a vida, é uma fé que nos faz nascer de novo! Desse novo nascimento, muitos conceitos se estabeleceram, os quais quem caminha comigo há algum tempo já deve conhecer alguns...


Lembro que no início da minha fé, recebia muitas profecias de que eu pelejaria contra “eles”, de que eles viriam contra mim, mas o Senhor faria minha cerviz mais dura que a “deles”. Passei muito tempo achando que “eles” seria o mundo, mas hoje eu sei que se trata do sistema religioso.


Decepções, contradições e perseguições. Encarei e enfrentei tudo isso acalentando uma lembrança muito viva: a da minha experiência de salvação. Ela me motivava! A graça e o amor de Deus por mim eu não negociava com ninguém e as respostas que eu obtinha de Deus eram o que me fortalecia.


Em vez de eu me frustrar quando alguém tentava me esculhambar, eu buscava a palavra e ia fortalecendo mais minhas convicções.



O Reino de Deus deve ser de inclusão, não de exclusão. Na década de 80, os pastores eram ditadores, verdadeiros “exclusões” de pessoas. Hoje, com o governo corrupto e paternalista, muitos pastores se tornaram corruptos e vendilhões de benção. Considero-me um opositor dessa ideologia maligna, pois há 30 anos eu avisava que ela minaria o país. Felizmente, agora está caindo por terra.


A igreja não tem que depender do governo, tem que ser solução ao lado do governo, trazendo solução para as pessoas, e o governo de Deus à Terra. Na prática desse conceito a gente vai descobrindo nossa nobreza.


Deus vê o homem num todo: corpo, alma e espírito. Para um resumo de fé prática precisamos sustentar cada área, amando, perdoando e servindo.



O sistema religioso não tem coragem de sair

da lei e encarar a graça.


A minha fé foi sendo exercitada e consolidada resolvendo os problemas dos outros. O que me ajudou a sair do sistema religioso foi examinar a palavra direto na bíblia. Não só ouvir, ouvir e ouvir. Aprendi a conferir se o que estavam pregando tinha uma linha de coerência. Isso foi me moldando a ser o que sou, um pregador da palavra com resultados práticos.


O que faz uma pessoa deixar de ser religiosa? A familiaridade dela com as escrituras. O segredo é interpretar a bíblia pela bíblia.


Vejo muitos pregadores sendo meros plagiadores, uma reprodução do que ouvem dos outros. Mas no nosso relacionamento com o Senhor somos uma planta especial dele, temos esse privilégio. Não somos lavoura de outros.


Não temos de Deus aquilo que não cremos d’Ele.


Salvação e bênção são coisas diferentes. A salvação é um presente de Deus, não depende em nada do que fazemos ou deixamos de fazer. Já a bênção eu tenho à medida que planto e colho, que encaro os desafios da vida dentro dos princípios de Deus.


O sistema religioso põe a família acima do propósito de Deus. Mas primeiro Deus criou o homem e deu a ele seu desígnio: a gestão sobre a terra. Só depois Ele instituiu a família, ou, o casamento, dando Eva como auxiliadora para perpetuar o desígnio, a espécie e a gestão. Para se ter sucessor do desígnio, do patrimônio, do governo. No sistema religioso o cabeça é o homem. Mas pela palavra, entendemos que o homem é o gênero humano, apenas foram criados em 02 modelos, macho e fêmea, logo, o cabeça é quem tem o desígnio.


Eu cria que a palavra de Deus, o evangelho, era para pobres. Hoje eu não penso mais assim. Entendo que dentro de cada contexto a gente pode ser cabeça e não cauda. Mesmo dentro de uma prisão, como na história de José. Examine o seu contexto, veja em que tempo você está vivendo e semeie!


Minha última descoberta: Deus não vai ser mais Deus se eu praticar seus ensinos, nem menos Deus se eu não praticar. Aliás, há alguma coisa que Deus nos peça que seja para Ele? Não. Tudo que Ele nos pede, e nos dá como ensino, é para nós mesmos, são ferramentas para construirmos nossa vida e nosso desígnio.





¹ Quando Florescem os Troncos. O Livro conta a trajetória de vida do Ap. Nelsi Rorato.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Sobre nós

A igreja precisa ter suas convicções firmadas nos princípios da Palavra, com uma postura ética e coerente com aquilo que propõe para a sociedade. 

Esperamos por Você

(51) 3582-3620
R. Sobradinho, 301

Novo Hamburgo/RS 

comunicacao@mbcv.org

CNPJ - 919952410001-73

© 2018 por Comunicação e Marketing MBCV