Cristo Nosso Cordeiro Pascal

Milhares de judeus vinham a Jerusalém, a cada ano celebrar as festas. Começava com a semeadura. Logo depois a Páscoa, seguida de imediato pela observância dos Primeiros Frutos ou Primícias.


Neste ano em particular, houve outro acontecimento importante. Julgavam a certo Nazareno, a respeito do qual, corria toda sorte de rumores e cuja vida estava em jogo.


De forma imprevista, ele foi sentenciado à morte. Sua execução foi precipitada e apressada, com o fim de não atrapalhar a observância principal da Páscoa.


E aconteceu que, enquanto o Nazareno era interrogado na corte, os sacerdotes examinavam um cordeiro, certificando-se que não tivesse defeito algum, preparando-o para a Páscoa. Os dois acontecimentos – a execução do Nazareno e o sacrifício do cordeiro pascal – corriam em paralelo, de uma maneira tão igual, que justo quando levavam ao Homem sentenciado a morte à colina de execução, aquele cordeiro era conduzido ao templo e preparado para o sacrifício.

No dia seguinte, era observado o descanso sabático. Todos estavam ansiosos pelo domingo, para celebrar a festa das Primícias.


Antes do amanhecer do domingo, um dos sacerdotes saiu do templo e foi até um campo próximo a Jerusalém. Ele observa cuidadosamente, para ver se havia brotado da terra alguns talos (Primícias) do que foi semeado. Ainda estava escuro. Maria Madalena, uma das seguidoras de Jesus, estava indo a inspecionar o sepulcro onde O haviam colocado antes da Festa.


O sacerdote chega ao campo justo antes da alva. Ao inclinar-se, pode ver a seus pés, alguns talos que haviam brotado. As primícias haviam brotado! O sacerdote, com muito cuidado, toma um destes brotos, e neste momento sente a terra sacudir-se sob seu pés. Um pequeno terremoto acontecia não muito longe dali. A aurora começa a aparecer no horizonte.


No templo, ele efetua o ritual das primícias. Mantém o broto na palma das mãos levantadas diante do altar; ali, começa a mover a oferta para frente e para trás, diante de Deus. Ofereceu o grão germinado, seguido de uma oração de ação de graças. Deus mostrava mais uma vez sua fidelidade. Agora há esperança, há futuro, há um bom ano. Deus confirma que havia aceitado o sacrifício. Porém, desta vez, para sempre! Cristo nosso cordeiro pascal foi imolado (I Co 5.7).


Enquanto isto, um grande alvoroço começa a percorrer as ruas de Jerusalém. Primeiro Maria Madalena, e logo, outros mais estavam declarando. O sepulcro está vazio! Aleluia. Ele está vivo. Foi neste clima, que a esperada celebração das Primícias terminou. Ele ressuscitou como havia dito.


Cristo é a nossa Páscoa!

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Sobre nós

A igreja precisa ter suas convicções firmadas nos princípios da Palavra, com uma postura ética e coerente com aquilo que propõe para a sociedade. 

Esperamos por Você

(51) 3582-3620
R. Sobradinho, 301

Novo Hamburgo/RS 

comunicacao@mbcv.org

CNPJ - 919952410001-73

© 2018 por Comunicação e Marketing MBCV