A prevenção ainda é o melhor negócio

O site do Tribunal do Trabalho da 4ªRegião/RS em 23.04.2018 fez matéria estatística na Vara Especializada em Acidentes de Trabalho e/ou Doenças Ocupacional na cidade de Caxias do Sul especificamente, que consta atualmente sendo a 2ª cidade em que mais ocorrem acidentes e doenças do trabalho no Estado.


“Entre 2012 e 2017, foram notificados 22.042 casos no município. A capital Porto Alegre, líder do fatídico ranking, registrou 55.778 ocorrências. O estudo, teve 8.635 auxílios-doença por acidente ou doença laboral em Caxias Sul. O impacto previdenciário desses afastamentos foi de R$ 69,6 milhões. O alto índice em Caxias Sul é explicada, pela intensa atividade industrial. Só o setor metalúrgico reúne 1,8 mil empresas na cidade e seus arredores.” (sic).


E assim, infelizmente, a grande quantidade de acidentes de trabalho resta por falta de prevenção, cuidados das empresas em realizar treinamentos e enfim, quaisquer outras situações que possam gerar uma futura indenização ou afastamento de funcionários por descuido ou desleixo.

A prevenção ainda é o melhor negócio!


CAUSAS

O juiz do trabalho Marcelo Porto da Vara Especializada em Acidentes de Trabalho, afirma que a situação de Caxias de Sul é muito mais grave do que apontam as estatísticas oficiais, pois só são registrados aproximadamente 20% dos acidentes e doenças que acontecem na região.


Mas por que ocorrem tantos acidentes e doenças do trabalho na região de Caxias Sul? Analisando milhares de processos sobre o tema e laudos de peritos técnicos que avaliam as condições de trabalho nas empresas, o juiz Marcelo Porto acredita que ainda falta maior conscientização sobre prevenção, tais como: “maquinário não adequado para proteger o trabalhador.


Também falta treinamento para os riscos da operação; Há diversas situações de uso não adequado de EPIs: empregado que não se preocupa com isso, e o empregador que não orienta e nem fiscaliza a correta utilização dos equipamentos”; “Mas isso não acontece em todas as empresas, não podemos generalizar”, complementa. O juiz alerta que muitos acidentes ocorrem no final da jornada, quando o trabalhador já está cansado, cumprindo horas extras e em situações nas quais executando atividade para a qual não foi devidamente treinado.


As empresas necessitam investir em prevenção na área contábil, jurídica, além é claro na área médica, e técnico ou engenheiro de segurança, além de treinamentos. Caso contrário, terá com certeza, maiores custos por falta desta prevenção. Fonte: Gabriel Borges Fortes (Secom/TRT4).

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Sobre nós

A igreja precisa ter suas convicções firmadas nos princípios da Palavra, com uma postura ética e coerente com aquilo que propõe para a sociedade. 

Esperamos por Você

(51) 3582-3620
R. Sobradinho, 301

Novo Hamburgo/RS 

comunicacao@mbcv.org

CNPJ - 919952410001-73

© 2018 por Comunicação e Marketing MBCV