Adoção tardia: uma gestação que começa no coração

A adoção é um ato livre e consciente, de espontânea vontade. Assim, a criança ou o adolescente torna-se filho de quem o adota, independentemente de ligação consanguínea.


A Bíblia faz referência ao bebê Moisés, que foi adotado por uma princesa Egípcia (Êx 2.10). Outro relato é o da Rainha Ester, esposa do Rei Assuero (também conhecido como Rei Xerxes), que foi criada por um primo após a morte dos seus pais (Et 2.7). Além de muitos outros relatos bíblicos que mostram o quanto Deus sempre se importou com os “órfãos”.


Aqui no Brasil, casais buscavam através da adoção a realização do sonho de ter filhos, porém desde 13 de Julho de 1990, o Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA – traz um novo olhar para a adoção. O que antes possuía o intuito de suprir uma deficiência biológica dos pais, hoje se dá para suprir a necessidade do menor em ter alguém por ele. Ou seja, a busca da família ideal é pelo melhor interesse da criança ou do adolescente, não mais dos adotantes.


Infelizmente, ocorrem situações frequentes que levam as famílias adotivas a devolverem as crianças aos abrigos. A criança, neste caso, tem consigo a rejeição da família biológica, a rejeição da sociedade por ser mais “velha” e a rejeição da família que havia lhe adotado.


Atualmente no Brasil, existem 5.015 crianças disponíveis para serem adotadas e 42.476 candidatos a pais. O Rio Grande do Sul é o segundo Estado no Ranking, com 653 crianças para serem adotadas e 5.458 pessoas no cadastro à espera. A matemática não fecha, não é mesmo? Essa disparidade se dá pela preferência em adotar bebês e não crianças maiores.


A adoção tardia se dá quando o adotante aceita crianças de idade maior que 5 anos. O Governo do Estado tem dado abertura a ONGs e projetos que atuem na conscientização pela adoção tardia. É assustador pensar que ninguém quer o menor de idade avançada.


Se você se sentir impulsionado a abrir seu coração para gestar um novo amor, procure a Vara da Infância e Juventude do seu Município e cadastre-se. Você só irá precisar de um advogado (ou defensor público) e disposição para amar incondicionalmente.




Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Sobre nós

A igreja precisa ter suas convicções firmadas nos princípios da Palavra, com uma postura ética e coerente com aquilo que propõe para a sociedade. 

Esperamos por Você

(51) 3582-3620
R. Sobradinho, 301

Novo Hamburgo/RS 

comunicacao@mbcv.org

CNPJ - 919952410001-73

© 2018 por Comunicação e Marketing MBCV